Christiane F.

24 de março de 2012
E ai meus caros, beleza??????????????? Então meus amigos do blogue, devo anunciar-lhes que estou com um novo vicio um tanto por suspeito. Me encontro um tanto obcecada por uma garota (hoje, uma mulher) chamada Christiane Vera Felscherinow, uma dependente em heroína (sacou o trocadilho de um vicio um tanto suspeito né??? aaaaah) desde os 14 anos de idade, mais conhecida como Christiane F.

Todos já ouviram falar da história dessa garota que tão cedo caiu no mundo das drogas. Mas o que torna ela tão fascinante? Quem leu o livro, já sabe do que estou falando. É interessante saber de toda a trajetória, o mundo obscuro por qual ela passa e sua "recuperação" (pelo menos que era acreditado). Nós sentimos uma pequena ligação, e um tanto de afeto por Chris, querendo sempre pegar essa garota e lhe dar uns bons tapas e por ela no colo pra ver se ela muda. E lógico, ler o livro não basta. Temos que saber o que acontece depois de tudo que foi relatado. Saber o que aconteceu e como ela está hoje.

E hoje eu vim compartilhar um pouco com vocês esse novo vicio, desde a história, livro, filme, musica e até os dias atuais. Sim, sim este post será aqueles dos grandes. Então entre na "Estação Zoo" do blog, prepare uma dose de Valium e ouça David Bowie:

CHRISTIANE VERA FELSCHERINOW:

Christiane é uma mulher de 49 anos, viciada em heroína, nascida em Hamburgo, Alemanha. Até por aqui, chris pode passar despercebida, só parecendo um triste quadro de mais uma dependente química, com danificações irreversíveis. Porém,  se analisarmos a sua história bem a fundo, veremos que não é bem assim.

Christiane antes dos seus famoso 13 anos, morava com os pais em Hamburgo, até que se mudaram para Berlin, em 1968, onde as coisas mudaram. Seu pai violento, que constantemente batia em sua mãe, fez com que cada vez mais, Christiane se afastasse de casa, querendo "fugir da realidade", fumando pela primeira vez haxixe aos treze, começando a merda toda.


Fotos da verdadeira Christiane F. após o livro.
 Após maconha, Chris começou usar drogas mais fortes como LSD, além de medicamentos fortes como Valium e Mandrix além de fumar constantemente. Mas foi na discoteca mais "descolada" da Europa, a Sound, que Chris conheceu o bando.
  O bando formado por Atze, Axel, Zombie, Babsi, Stella e Detlef (que mais tarde, seria seu namorado). A partir daí, Chris se sentiu em  uma família. Para christiane, o bando não era só um grupo de amigos, mas sim, algo que a completava de alguma forma. Na turma, ela tinha o que em casa faltava, e não é atoa que quando seus companheiros caíram no vício da heroína, Chris foi junto com eles.

 "Toda a turma tinha um ar de superioridade. Todos
tinham aquela "classe": usavam jeans bem justos,
botas de salto alto, coletes, jeans bordados ou então
camisas estampadas, de um tecido que parecia tapete.
Minha família era a turma. Nela eu encontrava
amizade, ternura e algo parecido com amor. Só o
beijinho na chegada já me parecia uma coisa
fantástica. Todos davam e todos recebiam um pouco
de ternura e amizade. Meu pai nunca me beijou assim.
Na turma não havia problemas, não falávamos nunca
de problemas, ninguém amolava os outros com suas
merdas pessoais. Quando estávamos juntos, essa porcaria
de mundo exterior não existia mais. Falávamos
de música e drogas, algumas vezes de roupas e outras
também de gente que, de um jeito ou de outro, deu
um pontapé na bunda dessa sociedade policialesca.


Quanto mais se afundava no vício, cada vez mais Chris entraria no fundo do poço. Ao quatorze aos, Chris começou a se prostituir na Estação Zoo, junto com todo o resto do bando, para assim conseguir manter suas doses diárias de heroína. 
   Com isso, sua mãe em uma tentativa de livrá-la do uso de drogas, voltou com Christiane para Hamburgo, onde que fico "limpa" por alguns anos. Sua história ficou mundialmente conhecida após o publicamento do livro Wir Kinder vom Bahnhof Zoo, que relatava toda a sua história de drogada, até sua recuperação.




Detlef em uma clinica de reabilitação

Detlef em pleno trottoir

Stella se picando em um banheiro público.
Esta é a Babsi, a melhor amiga de chris, conhecida por ter sido a mais
jovem vitima de heroína em Berlin, com 14 anos. 
"Ela só tinha 14 anos!" manchete de jornal noticiando a morte de Babsi.
O bando. 





LIVRO:
Kei Hermann e Horst Hieck, os autores de Wir Kinder vom Bahnhof Zoo, conheceram a história de Christiane em um tribunal de infância e juventude pelo trafico e uso de drogas, onde que a entrevista, que seria de duas horas, se prolongou para dois anos, sendo lançado em 1978. O relato real de uma garota tão jovem  que já passou por coisas tão horríveis por causa de drogas, foi um choque para a toda a sociedade da época. O livro ficou entre os mais vendidos por anos, trazendo fama para Christiane e toda a turma.
  O livro foi traduzido aqui no Brasil como "Eu, Christiane F., treze anos, drogada, prostituída..." e "Filhos da Droga" em Portugal. 

esta é a minha edição do livro. 


outras edições publicadas no Brasil. 





O FILME:


A biografia de Chris também foi relatada em filme. Após o grande sucesso do livro, o cinema alemão apostou na história da drogada mais comentada do mundo para ser lançado. O filme aborda bem como e sujo e tenso o mundo em que vivia Chris e a turma. 



Muitos reclamam do clima do filme, pois é escuro e o áudio não é bom.Além de a adaptação não ser exatamente uma das melhores, porém, tudo tem seu lado posititvo. O filme é salvo por exemplo, pela maravilhosa atuação de Natja Brunckhorst, que surpreendeu a todos com sua performance e é claro, a trilha sonora do filme, que é composta basicamente por ninguém menos que David Bowie (que aliás, Christiane F. era fã).













APÓS O LIVRO...


Além de fazer alguns documentários (raríssimos dese encontrar aliás) e ser chamada para vários programas de TV na época, pouquíssimas pessoas sabem que Chris foi cantora. Chris além de ter feito um album solo, fez parte também de uma banda chamada Sentimentale Jugend. Ao contrario que muitos pensam, ela não usou seu nome de fama para conseguir 'alavancar' a banda, usando assim o pseudônimo "christiane x"

Album solo
Christiane X e Sentimentale Jugend





As musicas apesar de serem dificílimas de serem encontradas, são muito legais. Abaixo alguns videos com algumas musicas da banda ou do album solo de Chris. (wunderbar é a minha preferida, aliás) 




Hoje, Christiane continua viciada em heroína. Tem um filho, e de acordo com ela, ele é a unica razão por que ela continua viva. Seu quadro é irreversível, com hepatite C e problemas circulatórios. 








PARA SABER MAIS:

Sim meus caros, chegamos ao fim de mais um post aqui do blog. antes de chorarem e pedirem bis, quem quer saber mais sobre o que aconteceu, o livro, a turma e a própria Christiane há uns blogs feitos por fãs dedicados, falando sobre tudo, tudo mesmo, sobre a "merda toda"... Eu recomendo estes três:

 

2 comentários:

  1. Hey, obrigada pelo link.

    Nosso blog agora está reformulado, com novas ideias de postagens, material inédito (fotos, reportagens, etc), downloads... Espero sua visita por lá. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Não acredito que tem um post aqui sobre a Christiane F. nunca tinha notado.
    É só impressão minha ou 'oi meus caros' do início foi proposital?

    ResponderExcluir

Sempre tento responder os comentários. Se quiserem ver a minha resposta, deem um checadinha!! ♥♥♥♥

Tecnologia do Blogger.
Back to Top