filminhos do feriado

3 de maio de 2014
Acho que se eu fizesse uma lista chamada: "O que fazer quando se está sem nada pra fazer", sentar no sofá e ver algum filme ou seriado estaria em primeiro lugar; e não é atoa que foi o que eu fiz praticamente todos os três feriados prolongados seguidos.* Como yo soy una persona muy bueña e louca pra falar sobre os filmes que eu vi, vejo, sofri, chorei; eu não vejo melhor espaço para compartilhar tudo isso com alguém, do que aqui e com vocês. 

Aproveitei o tempo livre pra ver alguns filmes do Óscar que eu não pude ver por algum motivo idiota-do-qual-não-me-lembro, ver alguns filmes que estavam pendentes eeeeeeeeee algumas surpresas vieram também. Eu sei que o numero será relativamente pequeno para o tanto de tempo que eu estive me dedicando ao ócio, mas isso porque eu estava vendo alguns seriados do qual eu pretendo falar later (mais tarde, em english (inglês, em inglês)). 

1. Ruby Sparks, a namorada perfeita (Zoe Kazan, 2012)
Esse foi um dos filmes que eu estava pra ver há um tempinho mas não tinha arranjado tempo. É sobre um escritor muito jovem que já é considerado um gênio pela maioria dos críticos, mesmo tendo escrito somente um livro; apesar de inteligente, vive sozinho desde o término do seu namoro. Em um certo momento, ele sonha com uma garota ruiva chamada Ruby que começa a aparecer constantemente em seus sonhos - daí, ele escreve sobre ela. Para a surpresa dele, um dia ele acorda e.... Ruby Sparks se torna real. 
O filme é um amorzinho, recomendo muitíssimo, tem uma fotografia belíssima e se trata de um romance bem diferente. A Ruby é puro amor, gente, impossível não gostar dela! Perfeito para ver em um fim de tarde ♥ 
Indico para quem: gosta de comédias românticas como 500 days of summer e derivados.
Amorômetro: ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥






2. Nosferatu - O Vampiro da Noite (Werner Herzog, 1979)
AIMEUSENHOR!!!! Este filme é perfeito. Eu não poderia descrevê-lo de outra forma. Ele é nada mais, nada menos, que a refilmagem do clássico "Nosferatu" de 1922, um dos mais importantes filmes do expressionismo alemão. Além de, obviamente ter sido acrescentado sons, falas, cores e o nome dos personagens sejam do livro de Bram Stocker, o mais legal é que o final é completamente diferente de todos os filmes derivados do Drácula que eu já li/vi. Demais!
Pra quem não sabe, Nosferatu de 1922 foi baseado ilegalmente em Drácula de Bram Stocker, por isso a mudança de nome. Nessa refilmagem, a sinopse continua a mesma: Johnathan Harker, que trabalha em uma empresa de imóveis, recebe uma proposta de venda irrecusável de um Conde Drácula que vive na Transilvânia e deseja comprar terras na Inglaterra. 
Este filme agora faz parte da minha tríade de terror divina, Drácula(Coppola)&Entrevista com o Vampiro&Nosferatu (1979) (sim, eu achei melhor que o original, podem me matar!).
Indico para quem: goste de filme de terror diferentes e com uma história clássica.
Amorômetro: ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥



3. Ela (Spike Jonze, 2013)
Esse foi um dos filmes do Óscar que ficou pendente e devo confessar que foi este que eu mais gostei até agora.  Um escritor de cartas online, Theodore, está começando a superar o seu divórcio e acaba se apaixonando por um sistema operacional extremamente inteligente que têm sentimentos e personalidade, chamada Samantha. É um filme que me tocou profundamente, pois se trata de amor da forma mais real possível: do medo do que sentimos, do desespero, da solidão, de quando o amor começa e quando ele acaba - acho que ele mostra tudo isso de forma universal. Cuidado com o momento que você vai ver esse filme! 
Indico para quem: seja um ser humano!
Amorômetro: ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥





4. Gravidade (Afonso Cuarón, 2013)
Filme fantástico que me deixou aflita do início ao fim. Devo advertir que apesar do filme se passar no espaço, o foco não é ele - e sim o medo e a sua superação. Ryan é uma especialista de missão que luta para sobreviver em um dos ambientes mais hostis para a vida. Toda essa luta conta com efeitos especiais incríveis e uma fotografia lindíssima. A atuação de Sandra Bullock está espetacular. Eu ainda não concordo com a indicação para melhor filme apesar de ter gostado muito do filme, mas o prêmio de melhor direção foi bem dado. 
Indico pra quem: gosta de filmes espaciais misturados com conflitos da alma.
Amorômetro: ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥





5. O Clube dos Cinco (, 1985)
Eu já disse procês que eu amoamoamoamoamaoamoamo filmes dos anos oitenta? Pois é, e com esse não foi diferente. Se trata de um filme de high school bem, mas beeem acima da média. O filme é sobre cinco alunos que aprontaram alguma coisa na escola e por isso foram obrigados a fazer detenção no sábado. Por serem extremamente diferentes, todos os cinco no início não se dão bem; mas a medida que vão conhecendo uns aos outros, percebem que podem lidar com suas diferenças e aprender com elas, mesmo que por um dia. 
Grandes diálogos e lições de vida valiosa! Vale muito  a pena darem uma olhada. 
Indico pra quem: gosta de filmes dos anos 80, high school e fortes. 
Amorômetro: ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥






6. Glen Ou Glenda? (Ed Wood, 1953)
Esse filme é DO CARALHO e não me importa se ele foi produzido pelo pior diretor de todos os tempos, Ed Wood. É sério. Eu nunca achei que o Ed merecia esse título, eu também havia gostava de "Plano 9 do Espaço Sideral" e não foi de forma irônica. Mas Glen Or Glenda é maaaais. Muito maaais. Fala sobre transsexualismo de forma muito moderna. Vamos a sinopse,  Glen gosta de vestir roupas de mulheres apesar de não ser gay e não sabe como dizer isso para a sua noiva. Eu achei esse filme realmente interessante: tem uns quotes memoráveis e fala sobre homossexualismo e transsexualismo como se fosse século XXI, trazendo questões como "caramba, tem tanto problema no mundo e você ficam ai se preocupando se um cara mudou ou não o sexo dele?!?!?!?".
É claro que por ser do Ed Wood você espera umas cenas beeeeem, mas beeeeeem nada a ver ushaush Mas são engraçadas. Tem uma cena com o diabo que é hilária, e uma sessão de tomadas só de mulheres em posição bastante sensuais (e até agora não entendi porquê daquilo). Mas deixo uma dica de filme que estava a frente do seu tempo, mas incompreendido! Peço que antes de ver este filme, veja a biografia desse diretor feita por Tim Burton, "Ed Wood", com Johnny Depp como ator principal. O filme é muito bom e explica muita coisa da produção de Glen Ou Glenda. 
Indico pra quem: gosta de filmes cults, não liga para erros e cenas sem noção; mas contém um roteiro um tanto interessante e engraçado. 
Amorômetro: ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥





10 comentários:

  1. Ei, vc já pensou em dissertar profundamente em apenas um filme ou em apenas uma ideia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, anonimo!
      Já, já pensei sim! Mas tenho medo de se eu começar a fazer isso com muita frequência, as pessoas acabem confundindo esse blog como algo para filmes! Imagine se eu fizesse um post para cada um destes que eu apresentei?
      Mas pretendo fazer quando um filme me marcar muito por exemplo.

      Obrigada pela ideia :3

      Excluir
  2. Oie.
    Desses filmes todos, acho que o que já estava com vontade de ver são Ruby Sparks e Gravidade. Vejo todos os filmes da Sandra Bullock cegamente, amo amo amo.
    Feriado rendeu então :D

    Bjooos
    http://www.azul-calcinha.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, veja mesmo!!
      haha a sandra bullock é ótima! Vale a pena ver todos os filmes, são bons (inclusive miss simpatia, que é sublime de bom hahah)

      bjss

      Excluir
  3. Adorei o seu amormômetro, hahahaha!
    Dos filmes que você citou, assisti aos do Oscar, Clube dos Cinco e Nosferatu, e gosto muito de todos eles. O que me deixou com a pulga atrás da orelha mesmo foi esse do Ed Wood. Nunca vi um filme dele, só aquela cinebiografia do Tim Burton, já viu? Pra mim, é o filme mais bacana dele :)
    beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahha que bom!
      Poxa anna, veja sim haah eu os acho muito divertido. Simmmmm, já vi e adoooro. Inclusive recomendo a todos antes que vejam Glen Ou glenda, vao compreender ainda mais ;)

      Bjs

      Excluir
  4. Acho que Ed Wood tem o título de pior muito mais por ser "pitoresco" do que por ser realmente o pior. Acho que o título dá certo charme a seus filmes, tanto que Tim Burtom dirigiu a biografia dele.
    Você viu ótimos filmes. Daí, o único que não curti muito é gravidade, sei lá porque - achei tecnicamente perfeito, mas não me passou esse suspense todo que as pessoas tanto elogiaram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Vou te dizer que já vi filmes muito piores que do Ed Wood e nem por isso receberam esse titulo.
      Olha, Gravidade é um filme que eu gostei porque te prende até o fim. Mas não concordei com a indicação pra melhor filme não, viu.
      Apareça mais vezes! bjsbjsbjs

      Excluir
  5. Meu Deus, assistimos The Breakfast Club com poucas semanas de diferença. Muita sintonia! Por favor, se ainda não viu, veja Sixteen Candles e Pretty in Pink (brat pack êbaaa). Este último eu peguei por acaso no VH1 já há algum tempo e os outros decidi assistir depois que vi Revenge of The Nerds (que é pavoroso porém legal) e resolver permanecer no clima adolê durante o feriado. Ah, aproveita e vê say anything. Anos oitenta é vida (e John Hughes é o cara, li num artigo tosco que ninguém capta tão bem as angústias adolescentes - especialmente as americanas - como ele. Pelo que pude perceber, é verdade).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pretty in Pink você me fala há séeeeeeeculos, mas nunca parei pra dar uma olhada.
      Preciso nem falar que concordo que Anos 80 é vida! Acho que é até além, pois a vida nos decepciona as vezs, ao contrário de um filme oitentista - cada vez mais surpreendentes.

      Excluir

Sempre tento responder os comentários. Se quiserem ver a minha resposta, deem um checadinha!! ♥♥♥♥

Tecnologia do Blogger.
Back to Top